Confiança Criativa nos Negócios

Autor: Márcio Cerbella Freire é Diretor de Sorrisos da EMECF Educação Empreendedora, feliz, Master Coach, Analista de Sistemas, Pedagogo, Pós Graduado em Psicopedagogia e em Empreendedorismo e Inovação(UFF), Empreteco, Consultor, conteudista e instrutor credenciado do SEBRAE.

 

 

Resumo: este artigo dá início a coluna de mesmo nome, a intenção é passear no mundo da criatividade fazendo uma conexão com as possibilidades que a confiança e o pensamento criativo podem promover neste cenário.

Ao longo de minha jornada percebi que muitos empresários encaram a criatividade e a inovação como uma espécie de dom inato e de difícil aquisição, mas hoje posso afirmar que essa capacidade existe em todo humano e que pode e deve ser estimulada.

Mas de que vale a criatividade no mundo dos negócios? Vale principalmente para não nos limitarmos a respostas pré-concebidas ou ainda que sejam expressão de normalidade, afinal, ainda vemos muitos empresários de vários setores desistirem de seus negócios ou se limitarem a uma rotina de sobrevivência camicase recorrendo, por exemplo, a créditos ou empréstimos para manter uma engrenagem deficitária em funcionamento.  Em momentos de crise, principalmente, é comum encontrarmos respostas para as situações que vivemos nos fatores externos promotores da crise, que levam ao desespero e a desesperança. Em contraponto a isso uma das possibilidades da criatividade é nos permitir fazer perguntas novas para as velhas questões, possibilitando respostas novas e quem sabe inovadoras, capazes de trazer soluções e nova esperança.

A ideia aqui é pensar que sempre podemos olhar uma determinada situação por vários pontos de vista diferentes, buscando por exemplo novos olhares, novos públicos novos clientes ou ainda novas utilidades para um mesmo fato ou objeto.

Por exemplo, se estivermos certos que não existe possibilidade para que nosso negócio possa funcionar ou sobreviver em tempos de restrições, como o que estamos vivendo, a consequência é que muito provavelmente vamos fechar as portas. No entanto se nos permitirmos pensar em novas perguntas que gerem respostas diferentes, talvez possamos até mesmo fazer o negócio crescer apesar dos desafios a ele impostos.

Importante perceber que normalmente um processo criativo para empreendedores se inicia na impossibilidade ou nos problemas, que a partir de novas questões e pontos de vista diferentes, se transforma em oportunidade, uma vez que quando resolvemos um problema, seja ele nosso ou de outrem, esta solução pode ser replicada para muitas outras pessoas podendo se transformar em um produto ou serviço lucrativo.

Em alguns dos treinamentos e palestras que tenho feito, pergunto aos participantes para que serve uma empresa?  Sempre vem muitas respostas baseadas na consequência e quase nunca na causa, alguns respondem que serve para ter lucro, outros dizem que é para alcançar liberdade, outros ainda, que é para deixar de ser empregado, mas raramente alguém responde algo semelhante ao que descobri vivendo no mundo empreendedor, esses mais de trinta anos,  que uma empresa serve na verdade para ajudar a resolver problemas, sonhos, desejos ou necessidades das pessoas! O resto é consequência, e nesse caso, é natural que se ela ajuda um grupo de pessoas, que receba e lucre por isso. Se um negócio não ajuda nada para ninguém, ou seus proprietários usam a criatividade, criando novas perguntas, ou o negócio vai deixar de existir.

Para que possamos iniciar no mundo criativo o primeiro passo é aceitar as incertezas e aprender a lidar com o fracasso, ou seja, conviver com o erro aprendendo a usá-lo a nosso favor.

Divido aqui com vocês uma formula quase matemática para a construção da confiança criativa:

IMPOSSIBILIDADE + NOVAS PERGUNTAS = NOVAS IDEIAS

Apoiado nessa formulação, podemos então seguir para o famoso ciclo PDCA, Plan, Do, Check, Action, ou ainda planejar, fazer, verificar e corrigir. Ou seja, a partir de perguntas novas para uma questão, antes vista como impossível de ser resolvida, pensamos e planejamos novas ideias, que podem ou não ir a diante, mas que passando pelo ciclo citado e apresentado na figura acima, permitem uma construção continuada de novos sucessos, antes considerados improváveis.

Portanto aqui iniciamos um convite ao ser criativo que existe em cada empresário para que busquem antes das respostas, as perguntas livres, que possam aumentar a confiança e gerar uma nova realidade bem sucedida nos negócios e na vida!

Ubuntu, waka, abraços e sorrisos.

3 respostas para “Confiança Criativa nos Negócios”

  1. Gostei ! Esse ciclo tem que ser revisto sempre, para que tenhamos melhores resultados e nos aperfeiçoemos a cada dia. Ótimos negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *